Time B escancara superioridade do Flamengo, e jovens provam que podem ser solução

Mesmo com um time alternativo, o Flamengo entrou em campo contra o Botafogo, no estádio Nilton Santos, como favorito. E jogou como tal. Dominou, deu poucas chances, venceu por 2 a 0 e provou mais uma vez que, mesmo sem força máxima, está acima dos rivais. Agora, na liderança.

Uma das provas foi Rodrigo Muniz. Logo aos dez minutos de jogo, o garoto substituiu Pedro, que saiu com dores na coxa esquerda, e teve uma uma ótima atuação. Artilheiro do campeonato, marcou seu quinto gol e mostrou capacidade que vai além das finalizações. Driblou, tabelou, fez pivô e causou a expulsão do botafoguense Kanu.

Organizado, o Flamengo pressionou o Botafogo em seu campo desde o início e foi tomando conta da partida. Assim, os destaques individuais foram acontecendo. Matheuzinho foi uma boa opção ofensiva, principalmente no primeiro tempo. Os volantes Gomes e Hugo Moura, principalmente após a expulsão de Kanu, foram boas opções também no ataque. Gomes acertou mais uma vez o travessão, e Hugo marcou seu primeiro gol no profissional do Flamengo.

Mas o grande destaque, ao lado de Muniz, foi Bruno Viana. O zagueiro fez uma partida impecável, distribuiu antecipações precisas e mostrou boa qualidade na saída de bola, algo muito valorizado por Rogério Ceni no time principal.

Michael, sempre esforçado, fez seu melhor jogo até agora no Carioca. Tentou fazer opções de jogadas mais simples, o que lhe favoreceu e diminui o número de erros. Ainda foi pouco produtivo, mas ganhou elogios de Mauricio Souza.

A última partida do time alternativo será contra o Boavista, sábado, em Bacaxá. O saldo já foi muito positivo. Além do bem desempenho, mesmo na derrota para o Flu, muitos jovens mostraram que têm totais condições de ganhar mais minutos no time principal e virar solução em tempos de orçamento curto. São os casos, por exemplo de Matheuzinho, Noga, Ramon, Hugo Moura, Gomes e Muniz.

Fonte: GE

Postado em 25 de março de 2021