Diretor do São Paulo sugere bolha para Paulistão e diz que pandemia tirou R$ 130 mi do clube em 2020

O diretor de futebol do São Paulo, Carlos Belmonte, defende que seja criada uma bolha para que as equipes que disputam outros torneios além do Paulista possam adiantar rodadas do estadual caso a suspensão de eventos esportivos seja mantida pelo governador João Doria (PSDB) na semana que vem, quando expira o primeiro prazo da fase emergencial de combate à pandemia de Covid-19.

Para Belmonte, uma opção é confinar São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Santos, Red Bull Bragantino e Ponte Preta em um único local para que joguem entre si, adiantando rodadas do torneio e abrindo espaço no calendário desses times, que disputam torneios como a Copa do Brasil e a Libertadores.

Há o temor de que uma nova longa paralisação cause mais prejuízos aos clubes. No ano passado, segundo Belmonte, o São Paulo deixou de arrecadar R$ 130 milhões por causa da pandemia.

– Nós vivemos em um ambiente controlado, o futebol teve cerca de 2,2% de infecção entre jogadores. Estamos com protocolo bastante rígido, a gente está treinando. Todos os times estão treinando, então me parece de pouco peso se esses times estivessem se enfrentando – disse ele ao podcast GE São Paulo.

Belmonte afirmou que o clube, que fez seis contratações até agora, aumentou a folha salarial em 1,5% por enquanto (entre chegadas e saídas de atletas), mas que o plano é cortar até 15% dessa despesa ao fim da temporada. Ele admitiu que terá que vender outros jogadores para cumprir o orçamento que prevê R$ 176 milhões na negociação de direitos econômicos – Brenner foi negociado em janeiro por cerca de R$ 80 milhões.

Ao ge, o diretor também comentou sobre a dívida de cerca de R$ 10 milhões com Daniel Alves, incluindo a busca por uma solução com o atleta, e sobre o retorno de Milton Cruz ao clube.

Fonte: GE

Postado em 26 de março de 2021